Você está com inflamação celular? Descubra:

INFLAMAÇÃO CELULAR

A inflamação celular está diretamente ligada à dificuldade de perder peso.

 

Descubra se você está com este problema: Click aqui e faça um teste rápido

Exercícios Hiit Brasil

Overtraining: 6 passos para evitar este inimigo!

Overtraining: 6 passos para evitar este inimigo!

O termo overtraining poderia ser traduzido por algo como “treino excessivo” e diz respeito a um estado de muita fadiga causado pelo estresse do organismo e falta de intervalo de recuperação entre os treinos.

Esta situação ocorre quando o praticante treina além de sua capacidade com o intuito de, supostamente, acelerar seus ganhos.

O que ocorre na realidade é o contrário: o indivíduo, quando submetido a esforços sem os intervalos de descanso adequados, tende a piorar seu desempenho e, consequentemente, os seus resultados.

Reconhecendo o overtraining

As principais características da pessoa que pode estar em estado de overtraining são:

  • Cansaço;
  • Dores que não passam;
  • Falta de ânimo para realizar tarefas rotineiras;

Há outros sintomas ainda mais graves que podem afetar os resultados do seu treino, como:

  • Perda de performance;
  • Perda de massa muscular ou impedimento de crescimento de novas fibras musculares;
  • Falta de apetite;

Sintomas psicológicos também podem aparecer, como:

  • Irritabilidade;
  • Agressividade;
  • Depressão;

 

Queda na imunidade pode ser um sinal de alerta! Saiba mais:

 

Efeitos fisiológicos podem ser gerados também pela queda na imunidade resultante deste estado de cansaço excessivo. Sendo assim, o sujeito fica mais suscetível a resfriados e dores de cabeça, além de outras doenças oportunistas.

Além dos prejuízos citados, o estado de overtraining pode diminuir o ritmo do metabolismo e estimular a produção de cortisol, um hormônio que está relacionado ao catabolismo, ou seja, à perda de massa muscular. Tudo que a gente quer evitar, não é mesmo?!

cortisol

Como evitar o overtraining

Alguns cuidados importantes não podem ser deixados de lado para que o corpo não entre neste estado de fadiga tão prejudicial. Em primeiro lugar, o praticante tem que pensar de maneira racional:

De que adiantará treinar acima da minha capacidade para obter um determinado resultado se eu corro o risco de entrar em overtraining e, neste caso, ficar ainda mais longe do meu objetivo?

O praticante deve sempre, antes de tudo, conhecer o seu corpo. Veja como evitar este estado de fadiga total:

1 – Respeite o seu corpo!

  • Sempre respeite os limites de seu corpo! Treinar próximo ao limite não significa transpassá-lo. Cuidado com as cargas pesadas se você pratica exercícios com pesos. Elas devem ser condizentes com sua estrutura muscular, sempre!

2 – Dê intervalos necessários entre treinos e exercícios.

  • Mesmo que seu treino seja realizado de forma direta, sem intervalos, veja com seu professor ou personal trainer se, em algum momento, é necessário fazer uma pausa. Lembre-se também dos intervalos entre os treinos. É necessário aguardar dois dias para que cada músculo trabalhado se recupere.

3 – Intercale grupos musculares.

  • Por causa da informação que demos no tópico acima, a estratégia de intercalar o trabalho muscular entre, por exemplo, membros inferiores e superiores, pode e deve ser adotada, permitindo que o praticante treine quase todos os dias sem fadigar a musculatura. Em um dia faça os treinos de pernas e glúteos e, no dia seguinte, exercite os braços, o peitoral e as costas, por exemplo.

4 – Durma bem!

  • O sono é reparador para várias funções de nosso corpo, inclusive para a recuperação muscular. Mas, lembre-se de que o descanso excessivo (passar o dia inteiro dormindo, por exemplo) também é prejudicial para os resultados. Utilize como parâmetro a boa e velha recomendação de dormir, aproximadamente, 8 horas por dia.

5 – Alimente-se corretamente.

  • Quando você se exercita, você precisa de nutrientes para suprir o organismo por causa da perda energética e para dar uma força para os músculos se regenerarem. A alimentação rica em nutrientes vai ajudar a evitar situações de estresse. A melhor solução para resolver esse problema de uma vez por todas está aqui.

6 – Previna-se!

  • Faz parte da prevenção também a avaliação física, antes de começar a treinar, e após um período de treino. Desta forma, um especialista pode orientar o praticante sobre seus limites. Quando os sintomas do overtraining já existem, há de se realizar exercícios menos pesados ou, até mesmo, evitar as atividades físicas.

Conclusão

Como você pode notar, overtraining não é brincadeira! Ficar neste estado pode te forçar a ficar semanas ou até meses sem praticar atividade física devido a alguma lesão. Fique sempre atento ao ritmo do seu treino e se sentir algum dos principais sintomas, tome medidas para evitar prejuízos à sua saúde.

Lembre-se:

  1. Respeite o seu corpo;
  2. Dê intervalos necessários entre treinos e exercícios;
  3. Intercale grupos musculares;
  4. Durma bem;
  5. Alimente-se corretamente;
  6. Previna-se.

Leve a sério essas 6 dicas para evitar esse problema, afinal, ninguém merece ficar meses e meses numa sala de fisioterapia, concorda?

Já teve algum caso de lesão por overtraining? Então comente abaixo e colabore com a sua história ajudando outras pessoas a não passarem pela mesma situação.

Um abraço e até a próxima! 🙂

Overtraining: 6 passos para evitar este inimigo!
5 13 votos

Sobre o autor | Website

Loucos por resultados, cansados da mesmice! Saiba mais sobre nós ‎AQUI

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

1 Comentário

    Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
    entre em contato com o suporte.